Catalunha · cozinha

Doce de leite da vó Circe

Minha avó Circe, que deve estar preparando gostosuras pros anjinhos, ainda é a minha maior inspiração para tudo DIY que eu faço em casa. Não por ter me incentivado, senão tudo pelo contrário. Ela fazia coisas deliciosas na cozinha, fazia meus vestidos de aniversário, minhas bonecas de pano, bolsas e o que mais sua imaginação pedir. Originais e com muito carinho. Mas por motivos que nunca chegarei q saber, quando já grande eu perguntava como fazia, ela me dizia porque eu queria perder tempo com estas coisas. Minha sacó Ulyssea até me deu seu segredo da feijoada, mas a vó Circe primeiro dizia que pra quê se não ia dar certo… Eu achava engraçado, porque provavelmente ela tinha razão, mas insistia. No fim, ela me dava, eu fazia e quem provava não reclamava. Talvez por não ter provado o original, talvez porque quando é com carinho todo mundo fica agradecido.

Agora que ela já não está, pregunto ainda para quem ficou (mãe, avô, avó, tias), e busco inspiração nas lembranças da minha infância. Hoje de manhã eu deixei a Ana na acolhida da escola, que é um serviço pago separado na escola pública, pra ajudar as famílias que não conseguem seguir o horário escolar (de 9 a 16:30). Enfim, as monitoras são umas fofas e antes do natal eu fiz uns toffes no estilo cocada de doce de leite da vó Circe para dar no dia em que o Tió caga doces para as crianças. (Querida leitora, é isso mesmo. A tradição do tió é uma das coisas mais singelas e estranhas da Catalunha: um pedaço de pau que veio do bosque, as crianças dão comida para ele durante uns dias e quando ele já não aguenta mais de comer, as crianças dão com um bastão nele e de debaixo do cobertor ele caga chocolates e torrones. Acontece na noite de Natal, ou antes, nas escolas e praças das cidades). Enfim, no dia do tió da escola, eu mandei para as professoras e monitoras essas gostosuras. Coloquei em bolsinhas e caixinhas feitas à mão (recicladas de latas e caixas que achei em casa, forradas com um papel bonito) e a ver o que ia dar. Como não podia falar com a vó Circe, procurei no Google alguma coisa parecida, troquei o côco por castanha de caju e ála. Água na boca, não?

doce-de-leiteEu também, só de lembrar. E o pior é que a Neus, disse que tinha ficado uma delícia, que até a filha dela queria a receita. Pensei que seria um gesto bonito, dar junto a receita. Ou publicar aqui no blog. Só que hoje não… Volte amanhã, pra ver a receita e meu toque pessoal!

Anúncios

Um comentário em “Doce de leite da vó Circe

  1. Deve ter ficado muito gostoso mesmo! A minha mãe (a vó Circe) na verdade não queria que a gente fosse dona de casa e tivesse a mesma vida que ela. Comigo foi igual, sempre dizia que o que eu iria fazer não daria certo e me desanimava. Deu no que deu, nunca serei lembrada por meus dotes culinários….rsrsrs. Quem me animou um pouco a tentar cozinhar foi a sua avó Ulysséa. Você podia ter pedido a receita pro Vô João, ele ficou com o caderninho dela. Beijos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s