As aventuras de Mini e Maxi · cozinha

O mistério do chocolate

Carrer Petritxol xocolata
Image via Wikipedia

Sempre tive a idéia de que a Ana não ia comer doces até os dois anos. A idade era uma meta meio arbitrária, acho que relacionada com que minha mãe disse que eu não comi doces até essa idade. Mas logo que a Ana começou a comer sólidos, percebi que isso era uma contradição, porque doce é o primeiro sabor que a criança conhece e gosta, é o leite da mãe. E que a proibição era quanto ao açúcar, branco, refinado. Também sem ter certeza do porquê. Porque dá cáries e porque deixa a criança muito excitada. Mas principalmente porque açúcar refinado só tem calorias vazias de nutrientes, ou seja, um completo desperdício. Por isso procuro receitas de coisas docinhas sem açúcar, compro sucos orgânicos naturalmente doces, leio exaustivamente os rótulos de todas as coisas que compro e dou pra Ana em busca de coisas estranhas e principalmente açúcar. (E a verdade é que ela nunca ligou muito pra bolinhos, mas adora frutas, principalmente as que são um pouco azedas).

Até o dia que ela comeu o primeiro sorvete. Preciso editar o vídeo, impagável, da Ana tomando um picolé de chocolate. Eu peço pra ela me dar um pedacinho e ela, com seu dedo em riste me diz categórica: noooon. Assim mesmo, meio em francês. Agora ela já tem uma longa carreira de quatro sorvetes, tenho optado por versões mais “saudáveis”, de iogurte com fruta ou só de frutas, mas como são do tipo “artesanal” não sei realmente do que estão feitos ou que tipo de gordura e de açúcar tem dentro. (Feita a besteira é melhor não saber mais nada).   E assim caiu o mito do açúcar, aos 20 meses, porque a final de contas, os sorvetes, assim como as bicicletas, são para o verão. Nao que esteja liberado, continuo achando que são calorias desnecessárias, mas não estão “totalmente proibidos”. E claro, prefiro os que eu compro e dou porque sou chata mesmo com essa coisa das etiquetas.

Aí eu li neste blog um post sobre alimentação que tinha tudo a ver com o que eu estava pensando. Ela diz como os nossos hábitos da infância e até na vida dentro do útero afetam nossa alimentação adulta. E pra ilustrar, um caso de usar o doce como consolo. Estava em casa com a Ana logo depois de chegar do trabalho tentando fazer ela se arrumar pra ir ao parque. Ela sempre faz um showzinho e eu acabo aceitando sair com a bicicleta ou o carrinho de bonecas, se não ela vai praticamente chorando até o parque, que está a três quadras. Mas hoje, no meio da “discussão” ela aponto para uma lata onde eu guardo os doces “de grande”. E eu resolvi dar pra ela um pão de mel, meu preferido desde que eu tenho lembrança, que minha mãe mandou na Páscoa. Tem cobertura de chocolate amargo e dentro a verdade é que ele é bem durinho. Dei porque pensei que ela não ia gostar. I-LU-SAO!!! Nao só ela gostou como virou uma santa. Sentou no carrinho sem reclamar, foi pro parque sem dizer nada e quando disse que era hora de voltar sentou no carrinho e voltamos, sem escândalo. Jantou como se fosse a última ceia e dormiu em cinco minutos. A explicação do marido é que ela estava com fome, mas não me convence. Se fosse assim acho que ela teria ficado mais irritada. Ela não ficou super excitada e acelerada por causa do chocolate, pelo contrário, ficou mais tranquila. Nao penso dar mais chocolate para confirmar o “experimento”, mas quem sabe alguma mae aí tem alguma idéia sobre o assunto?

Anúncios

9 comentários em “O mistério do chocolate

  1. Mariana,
    O chocolate fez o efeito conhecido: confortou a pequena…. Você não comia açúcar, exceto no seu primeiro aniversário, quando comeu muuuuito brigadeiro, até pensei que fosse ter um piriri. Nada disso, passou super bem. Acho que terei de mandar mais pão de mel…. Beijos,

  2. Achei o post ótimooo!! Meu filho tem 10 meses e algumas pessoas ficam insistindo para eu doces para ele… eu digo não e não rs… Fico com medo de me tornar uma mãe chata …mas também quero o melhor pra saúde do Antônio…acho que nessa fase que a Ana está ja dá pra dar uma liberadinha… rs… Vou esperar um pouco também para que ele experimente o primeiro chocolate… de repente…quando ele não quiser sair comigo kkkk Bjosss

    1. O mais importante é nao ligar muito pras outras pessoas, né? Cada um tem uma idéia diferente sobre como educar os filhos. É, eu já dei várias liberadinhas… No fim eu acho que açúcar é pior que chocolate… E criança deve gostar até de chocolate amargo. Enfim, sorte aí com o Antonio!

  3. oi mari!
    to colocando minha leitura do teu blog em dia. passei o mes de maio em sao paulo trabalhando como louca, agora estou de volta e adorando o verao.
    ainda to conseguindo segurar o acucar da hannah, na minha cabeca tambem estao os 2 anos como limite. o que mais enche sao as pessoas perguntando por que, eh engracado como nao eh obvia essa coisa do acucar em geral. eu que de pequena ja li os livros da sonia hirsh – bom, nunca deixei de ser formiguinha por causa disso, mas os males pra mim sao bem claros. alias a nossa regra geral eh assim: se eh poh branco, nao presta; farinha branca e coisas com fermento em poh tambem evito dar pra ela e ainda sou bem rigorosa quanto ao sal!
    mas ela nao liga, porque o que nao conhece, nao sente falta…
    vamos ver ate quando chego, hahaha!
    beijos

    1. Grande verdade, o que nao conhece nao sente falta. Mas bem, acho que na escola ela andou comendo uma madalena. Tipo um muffin. Deve estar cheio de açúcar e gordura vegetal hidrogenada. E antes ela nao podia nem ver bolo na frente. Entao hoje eu fiz um de banana, ela gostou. Minha teoria é que bolo de mae nao engorda, a prova sou eu mesma! Acontece que “chegou o verao” e já andei dando uns sorvetes pra ela. Acho também que se pode ser flexível e nao abusar de nada. Fora que nessa idade é melhor nao enche-los de calorias inúteis. Como vai a Hannah nessa escola que ela vai? E o desfralde?

      1. OI Mari, pois desfralde ainda esta um pouco longe da nossa pauta… nao sei, vou aguardar sinais, ainda nao ha. A Hannah diz apenas “coco?” um pouco antes de fazer coco. Mas agora que ela ja sabe que sempre depois que ela anuncia e faz tem que trocar a fralda, ela nao avisa mais porque odeia trocar a fralda e prefere ficar com coco. Pode?! Ja tentei colocar ela na “privadinha” da irene em sao paulo e na privadona daqui e nao quis nem saber, entao acho que ainda falta tempo mesmo.

        A escola dela eu gosto muito, a Hannah tambem. A Hannah tem uma personalidade tao magnetica que os educadores a adoram, entao esta todo mundo muito feliz mesmo. So fica um pouco longe (1.8km) mas no verao tudo bem porque a gente vai de bicicleta, mas no inverno…

        Vao abrir uma escolinha aqui no predio mesmo, vou sondar, mas gosto tanto de la que to um pouco chatinha ate pra ir ver qual eh a desse aqui…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s