As aventuras de Mini e Maxi · bitácora

O sono

O sono das crianças de menos de dois anos é um dos temas preferidos tanto em conversas entre comadres como entre os leigos e doadores de opiniao em geral. Tanto que eu mesma já falei disso aqui. E resumindo, eu dizia que a Ana dormia com a gente porque assim era mais fácil pra mim, ela podia comer à demanda, eu voltava a dormir mais rápido e a verdade é que muitas vezes nem lembrava quantas vezes tinha acordado durante a noite. Digo tudo isso no passado porque a Ana mudou.

Foi antes de a gente ir pra Romenia, quando ela começou a engatinhar. Um dia ela acordou no meio da noite e ficou lá sentada, depois começou a “brincar”. O problema é que ela estava realmente dormindo, meio sonâmbula. Daí pra frente só piorou e ela parou de associar a nossa cama com lugar de descansar, ela deve achar que está no circo, sem nem saber o que é isso. Entao, na hora de dormir, nosso “ritual” agora inclui um pouco de “jogo”, mas ela só acalma no seu quarto, numa cadeira de balanço que tem lá. Aí ela mama e dorme e eu posso pô-la em qualquer lugar, até na nossa cama. Mas geralmente eu coloco no berço mesmo, que é o mais lógico já que ela vai ficar sozinha até a hora da gente ir dormir também. O que acontece daí pra frente ainda está em mutaçao. Por três noites seguidas ela dormiu lá tranquila até altas horas, só levantei pra dar o mamá uma vez e ela voltou a dormir lá mesmo. Parecia um sonho, espalhei pra todo mundo.

Mas aí juntou que ela tem 8 meses e os bebês de 8 meses podem sofrer de ansiedade de separaçao. Tipo, ela te ve saindo do quarto e nao tem certeza de que você vai voltar e chora, como se fosse uma despedida pra sempre. Com o tempo, e a base de ver você voltar várias vezes, ela aprende que a gente vai e volta e aí também aprendem a dar tchauzinho, que é uma graça. Bom, a Ana está nesse caminho, mas quando ela se deu conta de que acorda de noite e eu nao estou e às vezes demoro um pouquinho, chora e demora mais pra dormir, claro. É a tal da ansiedade.

Um dia eu tentei trazer ela pra cama, no meu desejo de que tudo fosse como antes – já estava com saudades. Mas aí ninguém dormiu. Chegou um ponto em que ela estava de bruços na minha barriga, e aí caiu dormida. Visto o mau-humor reinante na casa no dia seguinte, pensei em fazer diferente a noite seguinte. Ou seja, deixar ela lá e ir cada vez que ela acordasse. Ela achou boa a idéia e acordou de hora em hora! Devia ser só pra ver que eu estava ali. E foi essa noite. Tô aqui meio zumbi, na esperança de que algum milagre aconteça, em qualquer direçao. Ou entao vou dormir lá no quarto dela e pronto.

Um dia essa euforia de brincar durante a noite vai passar, né? Alguém aí pode contar um mentirinha branca e dizer que sim?

Anúncios

4 comentários em “O sono

  1. Claro que vai passar! E virão noites melhores (e piores também), mas mais cedo e mais tarde ela vai descobrir que de dia é melhor pra brincar… Né?
    beijos

    ps: e as fotos do batismo??

  2. oi querida,

    aqui em casa acabou que optamos por sleep trainear a hannah e ela está dormindo a noite toda sem acordar. e se acorda, volta a dormir sozinha.

    as duas primeiras noites foram as mais difíceis, que afinal ela queria porque queria o peito e nao sabia que tinha outro jeito pra adormecer… mas agora que ela sabe dormir sozinha já sorri quando dou boa noite e se chora 5 minutos, é excessao.

    foi a opcao que foi melhor pra a gente e estamos todos felizes, bem dormidos. mas realmente foi preciso muita forca e ser muito consequente, que dá uma dor no coracao sem proporcoes quando ela chora por uma hora e meia sem parar, mesmo voce entrando a cada 7 (eternos) minutos para dizer que está tudo bem e que jajá ela vai dormir e que estamos ali pertinho. foi uma decisao que a gente levou semanas para tomar, mas estamos de bem com ela.

    uma das vezes ela no meio do choro deu uma risada por causa de um beijo “engracado” que eu dei nela. daí percebi: nao é “pessoal”. os bebes separam bem as bolas. o que eu entendi naquele momento é que ela nem me odiava nem tinha medo que eu a abandonasse, ela entende já que eu estou do outro lado da porta: ela chorava (no nosso caso) era pelo peito mesmo, pela frustracao de nao saber dormir sem ele e de estar exausta e querer dormir.

    eu acho que afinal é tudo uma questao de tempo e de como voce está encarando a situacao. e as grandes transformacoes sempre pedem uma semana, 10 dias de constancia para darem certo, pelo menos estes sao os tempos da hannah. eu acho que a ana vai dormir super bem se voce continuar perseverante, acho seus planos ótimos.

    beijao

    1. Ai Cami, fico feliz que você tomou uma decisao, seguiu e alcançou o seu objetivo. E agora todos dormem bem. Mas a “técnica” nao serve para todo mundo, né? Ainda que conheço alguns pais que fizeram o mesmo e conseguiram “ensinar” o bebê a dormir sozinho com sucesso, eu prefiro esperar a natureza trabalhar sozinha. Agora a Ana já está mais calma de noite – nao pula mais como um bichinho – e voltou pra nossa cama. Ao mesmo tempo que demora menos para cair dormida, nos meus braços, mas no quarto dela. Enfim, pra mim é importante a conexao que a gente tem, mesmo que isso tenha um custo em horas de sono.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s