Meleca Amarela

Catorze dias de amamentaçao exclusiva

Esse post vai ter que ser – como a maioria por um tempo – uma obra em andamento, porque quero muito escrever mas o tempo vocês já sabem, é entre um mamá e uma sonequinha e outra.

Muito antes da Ana nascer, eu nao sabia bem se ia querer amamentar, ou pelo menos achava que nao ia fazê-lo por muito tempo. Uma das muitas idéias que abandonei durante a gravidez. Quando percebi que era a coisa mais lógica, mágica e importante dos nossos primeiros momentos juntos, comecei a ler e me informar sobre o tema. Li sobre os “problemas” e suas mirabolantes soluçoes, fui ao curso, tirei minhas dúvidas e terminei com esta informaçao:

1. Amamentar nao dói: esse é uma espécie de mantra que a mulher deve ter assimilado, mas que as outras pessoas da casa principalmente o marido e as maes de plantao devem ter bem claro na cabeça. É isso que vai obrigar todo mundo a tomar a decisao de procurar ajuda profissional bem antes de que comece a sair sangue junto com o leite e o peito esteja tao machucado ou empedrado que o caminho de volta é doloroso demais para a mae seguir adiante.

2. A “ajuda profissional” nao está no forum da internet e nao é o pediatra. É uma assessora de lactancia, que nem sempre é uma médica ou enfermeira, mas sabe tudo de posiçao do bebê, pegada, e principalmente, que amamentar nao dói.

3. A pegada é o elemento essencial da amamentaçao. É instintivo para o bebê, se bem que às vezes ele pode achar dificil encontrar o peito. A gente entra com o peito, numa posiçao que é única entre peito e boca, por isso nao adianta (muito) só olhar fotos ou treinar com a boneca.

4. Extrator de leite, bico de silicone e pomada de lanolina sao os melhores amigos do peito machucado, assim como as compressas de calor. (Essa era a parte que eu nao gostava nada, porque quem prestou atençao ao ponto número 1 nunca deveria chegar ao ponto de precisar de esses melhores amigos, certo?)

Aí a Ana nasceu e a realidade bateu na minha cara.

No hospital as enfermeiras foram unânimes em dizer que a Ana tinha uma pegada forte, que sabia succionar bem, mas que às vezes nao abria a boca direito. Por isso me ensinaram um truquinho, de com o dedo indicador ir forçando a mandibula para baixo pra ela abrir mais a boca. Ficamos assim e viemos pra casa, esperar a temida “virada” do leite.

Quando veio foi tao forte e o peito encheu tanto que parecia uma bexiga e a Ana nao conseguia sugar. Resultado, ela teve que apelar para a gengiva pra agarrar e isso doía demais. Nessa noite eu apelei para os melhores amigos do peito machucado, num mix de desespero e obediência cega à regra numero um. O Silviu, muito obediente ao primeiro principio, procurou na internet uma reuniao da Liga de la Leche perto de casa pra gente ir na segunda-feira mesmo, fez a compressa de água quente e a minha mae foi comprar a pomada de lanolina a qualquer preço.

De manha ainda doía, principalmente porque devo ter usado mal a pomada, o peito escorregava e ela mordia ainda mais. Mas nao doia o tempo inteiro e mudando de posiçao ela conseguia mamar mais tempo. Entao me senti melhor e nao fui na reuniao.

Na noite de segunda eu me senti um pouco pior, porque tivemos que ir no registro civil com o Silviu e a minha sogra encheu tanto que acabamos deixando ela em casa e isso me estressou um pouco. A Ana tinha seis dias e uma fome impressonante, além disso ela sentiu a minha tensao. Passamos o dia tentando acertar de novo nosso encaixe, mas estava em paz porque no dia seguinte tínhamos que ir ao médico e alguma coisa ele ia poder dizer.

Dito e feito. A enfermeira pesou e mediu, a Ana tinha ganhado todo o peso que perdeu no hospital e mais e cresceu 2,5cm. Ela perguntou como ia a amamentaçao e eu disse que pra Ana bem, mas que pra mim nem tanto. Entao ela me comentou do grupo de lactancia do centro de saúde onde vou, que se reune bem na quarta-feira e fomos lá. As enfermeiras e comadronas foram super bacanas, me deram as dicas depois de ver a Ana mamar e me convidaram a voltar lá em uma semana.

Seis dias depois – hoje – a situaçao é a seguinte. O peito direito é o que estava mais machucado e já está quase totalmente cicatrizado. Às vezes empedra, mas com a compressa quente antes e fria depois a dor também passou. O peito esquerdo sempre tinha mais leite e menos pedra, continua assim. Dá pra ver como ele é maior que o outro… E pra melhorar a pegada eu aperto o peito como um sanduiche e enfio na boca dela, pra forçar que abra bem grande. E tento sempre tirar um pouco antes com a mao, pra molhar a boquinha dela e provocar um pouco. Outra coisa, pra melhorar a ansiedade eu tento dar o mamá antes dela começar a chorar, porque se nao ela já está muito nervosa pra encontrar o peito. Perfeito nao tá, mas estamos nos conhecendo, né?

Espero que antes dela começar a ter dentes ela consiga entender que a gengiva machuca, se nao vai ficar complicado.

Ah, já ia me esquecendo dos melhores amigos! O creme de lanolina eu usei no pé da Ana porque descascava demais, foi ótimo. O bico de silicone está encostado porque no meu caso, o bico nao impedia que ela viesse com toda sua força, entao doía de qualquer jeito. E o extrator foi muito útil nas noites em que o peito estava muito empedrado. Como ele é manual, nao estraía nem uma gota, mas serviu muito para estimular os canais.Agora quem faz este trabalho é a Ana mesmo, é muito mais eficiente!

Ao contrário do que pensava antes, pretendo amamentar até os dois anos, ou até ela nao querer mais, o que vier antes. Vamos ver como vai ser, principalmente quando eu voltar a trabalhar.

Anúncios

9 comentários em “Catorze dias de amamentaçao exclusiva

  1. Mari, acho muito legal esse seu “trabalho” pra conseguir amamentar a Ana, sem desistir com os percalços no inicio. Parabens! Eu provavelmente nao seja a pessoa mais indicada para uma campanha relacionada à maternidade, mas realmente acho fundamental amamentar todo o tempo possível, afinal é o alimento natural dos bebês, nao tem contra indicações e é barato! 🙂
    É que conheço gente que desistiu rapidinho nos primeiros meses por um problema ou outro e foi direto pra mamadeira. Me dá a maior pena, mas fico na minha nao digo nada, opinião de não-mãe as vezes nao senta muito bem… Então faço o contrário, dou meus parabéns a quem sim amamenta, como você!
    Eu já falei isso aqui, mas repito, minha mãe me amamentou por mais de um ano, e acho que o resultado é positivo, vc não acha? jejeje
    Beijo enorme pra vcs, qualquer hora te ligo pra vc me contar mais. Adorei as fotinhos da Ana no facebook, uma coisa muito fofa, amiga!

  2. Que bom, menina, que vcs reuniram toda informação possível e souberam buscar a ajuda certa na hora certa. Informação e saber onde buscar ajuda é sempre bom.
    Superadas as dificuldades iniciais, tudo tende a ser bem melhor. E, qualquer problema, vc já sabe a quem recorrer, isso é o mais importante.
    Tive muitos problemas por causa de estresse, então tente ficar tranquila e não deixar os outros (sogra inclusive) atrapalharem este processo.
    Beijos

  3. Adorei saber tudo isso, mas cadê as fotos???
    Quero mais fotos!!!
    Ou não achei!
    Lembra que eu sou perdidinha aqui dentro.
    Beijos, saudades e esperando fotos,
    Maga

  4. No começo é complicado mesmo, a gente não acerta posição, o bebê não acerta a pega…mas aos poucos as coisas se encaixam. Que bom que vcs estão se acertando e se conhecendo.
    Torço para que vc amamente muito e seja sempre muito tranquilo.
    Um beijo, Re

  5. ê laiá!! já tá super aprendiz de mãe!! rá!! dando seus pulos e se virando para se entender com a pequena, dando dicas de amamentação, pensando na amamentação prolongada… tá de parabéns!!!
    vai fundo que vale o esforço.
    beijo grande

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s