Maricotinha em LA

Prólogo

Terminei o blog, a partir de agora minha novas aventuras vao voltar para o 360 do yahoo e pro outro blog da doña Maricotinha. Mas acho que muita gente que chegou a ler – e nao ficou só vendo as fotos – deve agora estar pensando que esta historia nao pode terminar assim, sem saber o que vai acontecer com os personagens. O que eu vou contar agora já nao é novidade para muita gente, mas vou escrever até como uma maneira de expiar esta fase se seguir adiante.

Na segunda-feira passada, depois do Andrew me deixar plantada toda a manha – na noite anterior nós tínhamos combinado de ir procurar um carro para ele comprar, mas obviamente mudou de ideia no meio tempo – acabamos conversando sobre a nossa situaçao. Eu ja tinha cantado que queria ir para la, que ia ser ótimo, que praticamente já tinha casa e nao ia ser difícil encontrar um trabalho. Mas ele nunca seguia meu papo e quando finalmente eu apertei ele disse que o terapeuta e todas as pessoas do tratamento disseram que ele deveria procurar nao ter nenhum tipo de relacionamento por todo o primeiro ano do tratamento. Que ele parecia bem mas que na verdade ele estava bem mal e tinha muita coisa na cabeça e na vida dele para consertar. Que ele sabia que esta nao era a resposta que eu esperava, mas que agora mesmo nao podia ser de outra maneira. Disse que gostava muito de me ter na vida dele – como eu também penso igual – e que tivémos muitíssimos bons momentos juntos para deixar tudo morrer assim. Mas melhor assim enquanto a gente esta bem que passar por coisas que nenhum de nós merece. A terapia é muito dura e nao sobra pedra sobre pedra. Se ele prefere me ter na lembrança, no cantinho guardado das coisas boas – como o primeiro passeio na Disney – eu também prefiro. E depois, se tiver que ser um com o outro vai ser. Agora que eu escrevo, e mesmo quando conversamos, penso e sinto sem rancor. Penso que vai ser uma oportunidade para mim também, buscar meu equilibrio, entender que quero de uma relaçao e estar preparada para estar com alguem saudavel e que me queira. É o mínimo que posso exigir da vida. E quem no mundo nao ia querer “terminar” um relacionamento com a viagem mais romantica e espetacular da vida?

Pra terminar só falta agradecer a todas as pessoas que acompanharam a historia mesmo antes do blog começar, que torceram e que torcem para que isso de certo. Por que vai dar. E também agradecer aquelas que leram sem saber o que estava acontecendo, e que curtiram as fotos.

Muitos beijos e até a próxima aventura da dona maricotinha.

Anúncios

2 comentários em “Prólogo

  1. querida maricota…. a ausencia é sempre breve quando temos um coração são e uma mente pronta para enfrentar o que o mundo nos impõe…. guarde com vc a alegria das suas fotos…. fazia TEMPO que eu não te via tão feliz…. guarde a força dessa alegria para um novo recomeço ou para um super final… isso, só o tempo te dirá…. eu estou com vc… mesmo longe… vc sabe… um beijo da sua maninha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s